Estilo parental e o estresse no vestibulando

O estresse é uma reação normal para pessoas de todas as idades. A causa é o instinto do corpo para proteger-se de uma pressão emocional ou física, de extremo perigo. Levando em consideração que as transformações estão a todo vapor na adolescência, estas intensas mudanças são caminhos para desencadear reações de estresse por si só. No período de preparação para o vestibular, não são poucos os casos em que a escola e a família identificam estudantes com atitudes agressivas, angustiados, deprimidos ou distúrbio de humor e sono. Devemos lembrar, já no início deste artigo, que determinadas práticas parentais contribuem para o desenvolvimento do estresse nesta fase do vestibular, podendo gerar um estresse crônico na vida adulta.

De acordo com Gonzaga (2011), a escolha profissional é uma das primeiras decisões de grande relevância que o adolescente deverá tomar ao longo da sua vida, uma vez que marca o início da vida adulta. Entretanto, essa escolha nem sempre é fácil, pois há inúmeras opções de profissões e áreas, sendo que o medo de escolhas erradas acaba por afetar a tomada de decisão. Nesse sentido, a escolha profissional desestabiliza a vida do adolescente, levando-o a repensar vários aspectos, uma vez que essa escolha não reflete apenas na decisão do que fazer enquanto profissional, mas, sobretudo, diz respeito aos valores e ao estilo de vida, ou seja, aquilo que o indivíduo quer ser.

O estresse excessivo em jovens pode se manifestar em inúmeros sintomas físicos, como: dor abdominal periódica, dores de cabeça, dor no tórax, fadiga crônica, entre outros, mas também pode aparecer associado a algumas expressões emocionais, como ansiedade e depressão; em muitos casos, essas condições se manifestam juntamente com os sintomas físicos (Greene & Walker, 1997).

Levando estes pontos em consideração, estudos mostram que é dentro do ambiente familiar que as relações serão estabelecidas e, por sua vez, serão determinantes para o desenvolvimento de grande parte dos comportamentos e habilidades dos filhos. Uma das formas de se avaliar a interação familiar e seu impacto no adolescente é a investigação dos estilos parentais.

Os adolescentes que possuem apoio familiar lidam melhor com os eventos que desencadeiam o estresse e a competência social também é demonstrada como um recurso positivo para eles, juntamente com a avaliação cognitiva da situação (Greene & Walker, 1997).

As práticas educativas positivas envolvem a monitoria positiva (o uso adequado das regras, acompanhamento em atividades de lazer e escolar, distribuição contínua e segura do afeto, etc.) e o comportamento moral (empatia, senso de justiça, responsabilidade, generosidade, conhecimento do certo e errado em relação ao uso de drogas e álcool, etc.). As práticas educativas negativas, por sua vez, envolvem a negligência (ausência de afeto e atenção), disciplina relaxada (em especial no que diz respeito às regras), punição inconsistente (orientada pelo humor dos pais e não pelo ato em si) e, por fim, a monitoria negativa (ambiente hostil).

Para se proteger do estresse excessivo é extremamente importante que o vestibulando tome alguns cuidados, dentre os quais: alimentação rica em verduras, vitaminas do complexo B, vitamina C, magnésio e manganês. Em casos de insônia, pode recorrer ao leite ou ao gergelim antes de dormir, pois o cálcio ajuda no sono. O relaxamento, por sua vez, também é um poderoso aliado no combate ao estresse. O adolescente pode praticar exercícios de respiração profunda, yoga, relaxamento muscular, ou ainda, encontrar outras fontes de relaxamento tais como músicas, filmes, leituras, etc. A prática de exercícios físicos deve ser incorporada na rotina do vestibulando, uma vez que trinta minutos de atividades físicas são suficientes para a liberação de beta-endorfina, substância responsável pela sensação de tranquilidade e bem-estar. Por fim, é extremamente importante que esse adolescente tenha qualidade de vida, equilibrando a sua saúde, a afetividade, os estudos e a vida social (Lipp, 2000).

Para as famílias, por sua vez, os encontros promovidos no colégio do seu filho, podem oportunizar a identificação do seu estilo parental, bem como promover a partilha de estratégias e ferramentas que contribuem com a desafiadora tarefa de educar filhos emocionalmente saudáveis. Se você é pai, mãe ou responsável, participe! Se você é adolescente e está passando por esse turbilhão de mudanças, incentive seus cuidadores a participarem!

FONTES:

MONOGRAFIAA A INFLUÊNCIA DO ESTILO PARENTAL NO STRESS DO ADOLESCENTE – ANA PAULA JUSTO

Artigo: A influência do estilo parental no stress do adolescente

Blog Escola da Inteligência

PRÉ-VESTIBULANDOS: PERCEPÇÃO DO ESTRESSE EM JOVENS FORMANDOS DO ENSINO MÉDIO