Ano de Vestibular e a Ansiedade dos Alunos

O último ano do Ensino Médio é o ano em que os estudantes começam a se preparar intensamente para os vestibulares. É comum durante este período surgirem dúvidas, pesquisas, incertezas, mudança na escolha do curso na universidade e principalmente ansiedade. Nesta fase da vida, importante para a preparação do futuro, muitas cobranças são impostas, como a pressão dos pais em relação à qual profissão escolher, dos professores da escola e dos próprios amigos. É aí que a ansiedade entra em questão, pois a cobrança, juntamente com a incerteza e muitas dúvidas, provoca a mistura de vários sentimentos, medos e responsabilidades que ainda     não foram desenvolvidas no estudante. Um estudo publicado em 2003 por pesquisadoras da Universidade Federal de Santa Catarina entrevistou cerca de 400 vestibulandos e identificou que mais da metade deles sente, nos meses anteriores à prova, dificuldade frequente de concentração. Pelo menos um terço reporta também inquietação, dores de cabeça e musculares. Como efeitos mais comuns, pode gerar dificuldade de memorização e concentração, tremores, taquicardia e suor excessivo, por exemplo. Os estudantes apontaram como principais geradores de ansiedade o medo da reprovação, a quantidade de conteúdo para estudar e o número reduzido de vagas públicas no ensino superior. Um estudo de 2010 de pesquisadoras da Universidade Gama Filho e da Universidade Salgado de Oliveira, no Rio, demonstrou que meninas são mais suscetíveis à ansiedade pré-vestibular do que os meninos. O estudo não investigou as razões por trás dessa diferença. A primeira coisa a se fazer para controlar o nervosismo é exatamente perceber que você está em um momento de ansiedade. Muitas vezes isso passa batido e quando percebe, já está em pânico. Por exemplo: tudo começou apenas com uma questão de matemática muito difícil de resolver. Depois, as mãos começam a suar, suas pernas ficam inquietas, você começa a roer a unha… Eis um quadro típico de ansiedade. Nos cursinhos pré-vestibulares, professores reforçam a necessidade de relaxar na véspera e revelam que técnicas de respiração e meditação ajudam os alunos a controlarem a ansiedade e o nervosismo. As principais recomendações de especialistas sugerem atividade física em quantidades moderadas, uma maneira eficiente de diminuir a ansiedade. Também indicam que o estudante defina estratégias prévias para resolver as questões da prova, se alimente de maneira equilibrada e saudável e diminua o ritmo dos estudos nos dias que antecedem o exame.  Exercício de respiração Dá pra fazer em qualquer lugar, de pé ou sentado (até mesmo durante a prova). Inspire o ar até você conseguir ver sua barriga se movimentando e depois, expire devagar. Repita algumas vezes, até perceber que você está melhor. Esse tipo de respiração, pelo diafragma, é capaz de aproveitar melhor a capacidade dos pulmões. Ela permite que você receba até sete vezes mais oxigênio do que na respiração torácica, fazendo com que o seu cérebro trabalhe melhor. Além disso, conversar é sempre uma excelente maneira de manter a saúde mental intacta. Conversar com os pais, professores, coordenadores, diretores, terapeutas e amigos é uma forma de colocar as preocupações para fora de uma maneira mais descontraída e sem julgamentos perante as preocupações do vestibulando. FONTES: Artigo: Ansiedade em vestibulandos: um estudo exploratório USP Nexojornal